MP Eleitoral vem realizando monitoramento sobre uso de verbas em candidaturas femininas

Ligado .

Objetivo é mapear se ao menos 30% do dinheiro do fundo partidário e do fundo eleitoral vão para candidatas nas eleições proporcionais e também se dinheiro é concentrado em poucas candidaturas

O Ministério Público Eleitoral vem realizando em São Paulo um monitoramento sobre a destinação de recursos por parte dos políticos do estado para as candidaturas femininas proporcionais. O trabalho está sendo conduzido pela promotora de Justiça Vera Lúcia Taberti, que foi designada, em portaria conjunta da procuradora-geral da República e do procurador-geral de Justiça de São Paulo, para atuar com o tema das candidaturas femininas nas eleições deste ano.

Com base na plataforma do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o MP está monitorando a destinação de quatro itens: fundo partidário, fundo eleitoral, doações particulares e doações entre candidatos. Com isso, será possível ter dados não apenas sobre quanto de recursos públicos (fundos partidário e eleitoral) têm sido usado para promover candidaturas femininas, mas também qual o nível de concentração dessas verbas, na hora de sua distribuição.

O objetivo do trabalho é verificar se candidaturas femininas vêm sendo realmente viabilizadas e se contam com recursos necessários para isso. Por isso, o MP Eleitoral está de portas abertas para ouvir candidatas que eventualmente pediram e não obtiveram verbas para suas campanhas. Traga seu relato e se alie ao MP em sua luta por mais igualdade de gênero na política. O telefone da Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo é (11) 2192-8707, e o e-mail é <Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..">Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.>

Notícias relacionadas: