Em ação da PRE-SP, PC do B perde tempo de propaganda por descumprir cota feminina

Ligado .

Foram cassados 8 min e 45 s do diretório estadual paulista, pois o partido deixou de reservar ao menos 10% de seu tempo de propaganda partidária no segundo semestre de 2015 à difusão e à promoção da participação da mulher na política

O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) julgou procedente, na sessão de ontem, ação ajuizada pela Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo (PRE-SP) contra o diretório estadual do Partido Comunista do Brasil (PC do B), em função do descumprimento da cota feminina na propaganda partidária. A PRE-SP apurou que o PC do B, em suas inserções veiculadas pelo rádio, nas cidades de São Paulo e Ribeirão Preto, no segundo semestre de 2015, deixou de dedicar ao menos 10% do tempo total à promoção e à difusão da participação da mulher na política, como determina a Lei dos Partidos Políticos (Lei nº 9.096/95).

Por essa razão, o TRE-SP cassou 8 minutos e 45 segundos do tempo a que o partido tem direito de propaganda partidária nos próximos semestres, a serem descontados após o trânsito em julgado da decisão. A sanção equivale a cinco vezes o tempo que a agremiação deixou de transmitir a cota feminina.

Para André de Carvalho Ramos, procurador regional eleitoral, "o cumprimento da cota feminina na propaganda partidária, cuja fiscalização é prioritária na PRE-SP, é fundamental na luta por maior presença feminina na política. Consolidar nossa democracia exige que conquistemos a plena igualdade de gênero".

Da decisão, cabe recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

(Representação nº 06-19/2016)